domingo, 30 de outubro de 2005

Manual. Alguém já achou o manual?

Sempre brinquei que bebês precisavam nascer acompanhados de um manual e luzes que orientassem os pobres pais. Chorou, pisca a luz amarela de fome, e pronto!

Mas ultimamente tenho percebido que o manual precisaria ser mais completo.
Ele tinha que servir para a vida toda, e não só para quando se é bebê.
Já nem seriam mais necessárias as luzinhas indicativas de fome, assadura e de "Não papai, não é aí que está doendo. Por favor, chame a mamãe".
E além do mais, luzinhas seriam um pouco indiscretas num adulto, né? Que tal você na balada, passou um pouco na bebida e de repente começa a piscar a luzinha de "xixi", só que você já nem tem mais idade pra chamar "xixi" de "xixi". No mínimo, triste.

Eu até ajudo a organizar! Por exemplo, vamos usar um capítulo para cada ano.
O meu começaria assim: "Caro usuário, você chegou ao capitúlo 33! Parabéns! Jesus também veio até aqui, mas o resto da história você já sabe, não é mesmo? Bom, sejamos mais otimistas e vamos detalhar nas próximas linhas o que vem pela frente, e para onde você deve correr. Sim, neste capítulo você vai correr!"

O manual poderia ajudar a tomar algumas decisões. Apareceram novas oportunidades: aceito essa, ou arrisco nessa? O seguro é confortável, porém tedioso. O arriscado é fascinante, recompensador, ("fulfilling"), mas pode ruir da noite para o dia.
"Caro usuário, você já não está mais em capítulos para arriscar, por isso, mantenha-se no rumo que lhe foi indicado no capítulo anterior. Surpresas lhe aguardam, e as instruções para mudanças de rumo lhe serão indicadas em momento oportuno. Não, não dê uma olhada adiante, e não estrague a surpresa."

Ajudar a entender melhor não só o que se passa com você mesmo, mas o que se passa com aquele que está do seu lado.
"Caro usuário, no capítulo 20, 21, 25, 27, 29, 30, 31, 32, entre outros, já lhe foi descrito que pessoas mudam de opinião e nem sempre falam o que sentem, seja em qualquer tipo de relacionamento. Por isso, lembre-se que cara feia nem sempre é fome, "Não" normalmente é "não", "Sim" normalmente é "sim". Há controvérsias, que também já vimos em capítulos anteriores, mas que serão melhor detalhadas agora. Prossiga."
Nossa, já imaginou que beleza?! A orientação na hora em que você mais precisa dela!

Coisas simples seriam a parte leve, cômica do manual. Afinal, todos precisam de uma folga.
"Caro usuário, se a esta altura você não sabe se deve ou não comprar 4 suéteres em seu cartão de crédito porque eles estão com um preço bom e a promoção parece ótima, é porque você está lendo o manual errado, ou porque você ainda não aprendeu nada sobre o assunto. Por favor, verifique o nome do proprietário do manual no início, e se ele é mesmo seu, retorne ao capítulo 20, tópico: "Independência Financeira - Poupança, Sim. Gastança, Não." e ao capítulo 21, tópico "Independência Financeira Intermediária- Mamar na Gata você não quer, né?" e refaça os exercícios indicados."

Mas quem quer que tenha criado essa brincadeira, deve ter achado que não seria interessante enviar o manual com cada jogador. Pode ser que o jogo se tornasse tão tedioso quanto o caminho seguro. Ou que nem sempre aguentássemos, e acabássemos pulando uns capítulos e dando uma folheada no que vem pela frente. Conhecimento demais pode ser perigoso!
Então, viva a ignorância!
Ou nela.
O que lhe for mais conveniente, desde que seja feliz.

domingo, 16 de outubro de 2005

Horário de Verão de novo... ai, que sono...

E lá vem ele de novo, o famoso horário de verão!
"Vai dar pra fazer alguma coisa depois do trabalho, porque quando eu sair, ainda vai ser dia!"
Esta é a frase que eu mais escuto sempre que ele chega...
Pra mim isso não funciona, porque o sono que o horário de verão me dá acaba atrapalhando todo o resto! haha
Tudo bem, pode me achar do contra, mas pra mim é assim! Eu preciso de sono de atleta, 10 horas por dia! Mesmo não fazendo nada que um atleta faria...
Hum, pensando bem, passou da hora de dar uma revisada nos hábitos, né?
É isso aí, vou revisar algumas coisas essa semana também!
Tudo novo, tudo diferente!
O negócio é mudar!

segunda-feira, 10 de outubro de 2005

Uhú!

Pois é, foi mais ou menos isso que eu tive vontade de gritar hoje, dia 10/10, ao finalmente saber o resultado do exame da tireóide!
Não é nada maligno, não é nada de mal! A tireóide ficou meio doida e resolveu crescer, mas é controlável hoje em dia! Ainda vou consultar o médico e tal, pra ver direitinho o que tem que fazer, mas ele mesmo me falou que agora só temos que comemorar! Uhúúúúúúú!

quarta-feira, 5 de outubro de 2005

Wooosh!

Pois é, dei uma sumida!
Achei que eu ia ter mais tempo pra mexer nesse blog, mas tempo é uma coisa que está ficando cada vez mais rara.
Agora por exemplo, estou aqui, quando deveria estar dormindo já que vou ter que levantar às 6:30 pra chegar cedo e acertar algumas coisas lá no Positivo amanhã.

Além da correria, minha tireóide deu pra ter uns "piriris", achou que estava solitária e resolveu inventar de criar uns nódulos pra fazer companhia. Como isso não é muito normal, estou fazendo vários exames pra ver o que é.
Dá um pouco de medo, mas agora é só esperar pelo resultado dos exames pra ver o que é com certeza. Pra ser sincero, dá bastante medo hehe, mas o susto já está passando e agora vi que não adianta me preocupar. Tem que esperar pra ver o resultado e aí então, resolver o que fazer!

Ontem foi um dia peculiar, pois foi um dia super corrido e, depois de dar um jeito nas coisas que eu tinha que fazer no trabalho, fui fazer um exame no meio da tarde. O nome da joça do exame, "punção de tireóide", já é uma coisa que me deixou assim, super "relaxado" hahaha. Só ficava pensando como é que ia ser a tal da punção, já que eu não tinha muita noção de como ele seria feito, além da orientação que recebi do médico de que seria simples: insere uma seringa no pescoço, na tireóide, e "chupa" um pouco de material de dentro do nódulo! Naaaada assustador, né?
Então, pra fechar com chave de ouro, três enfermeiras que me atenderam antes do médico eram de um tato, de uma gentileza sem igual. hahaha
A primeira com um mau-humor de dar vontade de pedir desculpas por ter interrompido a conversa dela no telefone, marcando a escova no cabelo pro casamento da prima no próximo sábado, pra ter que me atender. Afinal, porque é que eu tinha que chegar pra atrapalhar justo naquela hora. Imperdoável...
A segunda, um doce de criatura. Só consegui ver seus olhinhos afáveis quando ela levantou a cabecinha, um pouco contrariada, depois que eu caí na asneira de pedir um atestado médico pra apresentar no trabalho. Ela foi de uma gentileza monossilábica, e por fim, questionou minha masculinidade quando me deu um atestado informando que a Sra. Carlos Wavel Chaves Filho havia estado na clínica à tarde para exames ecográficos. Talvez eu esteja grávido e ainda não saiba.
Pra terminar, veio a terceira enfermeira, pra fazer a preparação do procedimento. Extremamente hábil com as palavras, me explicou que quando o doutor "enfiasse" a injeção, eu não podia me mexer, senão entrava ar e ele ia ter que fazer tudo de novo. E que dói, mas é suportável. E que depois o doutor ia entrar e explicar tudo de novo, mas ela só queria ir adiantando pra mim. Depois de várias outras palavras tranquilizantes, ela saiu, e depois de uma meia hora, finalmente, fiz o tal exame.

Dói? Sim, dói.
É suportável? Depende da sua tolerância pra dor, mas dá pra aguentar sim.

O que é mesmo difícil de aguentar é tanta gente burra pelo caminho!!! hahaha
Sou ruim? Talvez! Porque pessoa boa mesmo era Madre Tereza!!!