domingo, 30 de outubro de 2005

Manual. Alguém já achou o manual?

Sempre brinquei que bebês precisavam nascer acompanhados de um manual e luzes que orientassem os pobres pais. Chorou, pisca a luz amarela de fome, e pronto!

Mas ultimamente tenho percebido que o manual precisaria ser mais completo.
Ele tinha que servir para a vida toda, e não só para quando se é bebê.
Já nem seriam mais necessárias as luzinhas indicativas de fome, assadura e de "Não papai, não é aí que está doendo. Por favor, chame a mamãe".
E além do mais, luzinhas seriam um pouco indiscretas num adulto, né? Que tal você na balada, passou um pouco na bebida e de repente começa a piscar a luzinha de "xixi", só que você já nem tem mais idade pra chamar "xixi" de "xixi". No mínimo, triste.

Eu até ajudo a organizar! Por exemplo, vamos usar um capítulo para cada ano.
O meu começaria assim: "Caro usuário, você chegou ao capitúlo 33! Parabéns! Jesus também veio até aqui, mas o resto da história você já sabe, não é mesmo? Bom, sejamos mais otimistas e vamos detalhar nas próximas linhas o que vem pela frente, e para onde você deve correr. Sim, neste capítulo você vai correr!"

O manual poderia ajudar a tomar algumas decisões. Apareceram novas oportunidades: aceito essa, ou arrisco nessa? O seguro é confortável, porém tedioso. O arriscado é fascinante, recompensador, ("fulfilling"), mas pode ruir da noite para o dia.
"Caro usuário, você já não está mais em capítulos para arriscar, por isso, mantenha-se no rumo que lhe foi indicado no capítulo anterior. Surpresas lhe aguardam, e as instruções para mudanças de rumo lhe serão indicadas em momento oportuno. Não, não dê uma olhada adiante, e não estrague a surpresa."

Ajudar a entender melhor não só o que se passa com você mesmo, mas o que se passa com aquele que está do seu lado.
"Caro usuário, no capítulo 20, 21, 25, 27, 29, 30, 31, 32, entre outros, já lhe foi descrito que pessoas mudam de opinião e nem sempre falam o que sentem, seja em qualquer tipo de relacionamento. Por isso, lembre-se que cara feia nem sempre é fome, "Não" normalmente é "não", "Sim" normalmente é "sim". Há controvérsias, que também já vimos em capítulos anteriores, mas que serão melhor detalhadas agora. Prossiga."
Nossa, já imaginou que beleza?! A orientação na hora em que você mais precisa dela!

Coisas simples seriam a parte leve, cômica do manual. Afinal, todos precisam de uma folga.
"Caro usuário, se a esta altura você não sabe se deve ou não comprar 4 suéteres em seu cartão de crédito porque eles estão com um preço bom e a promoção parece ótima, é porque você está lendo o manual errado, ou porque você ainda não aprendeu nada sobre o assunto. Por favor, verifique o nome do proprietário do manual no início, e se ele é mesmo seu, retorne ao capítulo 20, tópico: "Independência Financeira - Poupança, Sim. Gastança, Não." e ao capítulo 21, tópico "Independência Financeira Intermediária- Mamar na Gata você não quer, né?" e refaça os exercícios indicados."

Mas quem quer que tenha criado essa brincadeira, deve ter achado que não seria interessante enviar o manual com cada jogador. Pode ser que o jogo se tornasse tão tedioso quanto o caminho seguro. Ou que nem sempre aguentássemos, e acabássemos pulando uns capítulos e dando uma folheada no que vem pela frente. Conhecimento demais pode ser perigoso!
Então, viva a ignorância!
Ou nela.
O que lhe for mais conveniente, desde que seja feliz.