domingo, 27 de julho de 2008

Saldo do fim de semana

Pena que acabou, mas nada de choro, já que daqui a 5 dias já tem outro fim de semana. E o bom do próximo é que vai ser o início das minhas férias! (uhúúúú) Mas não é delas que vou escrever agora.
Esse fim de semana foi cheio! Cinema na sexta, teatro no sábado, balada no sábado de madrugada (ou domingo de madrugada, como preferir!)

Sexta, 19:30h, Cinemark: Arquivo-X, I want to believe
Bom, eu queria acreditar que gostei muito do filme, como um bom fã de Arquivo-X por todos os anos de seriado. Mas não gostei tanto assim não.
Não sei se é porque o tempo passou e a série deu lugar a tantos outros seriados, mas faltou alguma coisa pra mim no filme.
A roteiro é bom e o filme é um grande episódio semanal, daqueles que ficávamos esperando ansiosamente. Mas não foi daqueles episódios que você morria de ansiedade a semana inteira pra descobrir se a irmã do Mulder estava viva e clonada. Ou daqueles que o cara ateia fogo espontaneamente em qualquer coisa, ou conduz eletricidade, ou troca de pele e se alimenta de outros pobres mortais.
Ele é daqueles episódios meio sem graça que aconteciam de vez em quando... Daqueles de videntes e conspirações e testes estranhos de ciência louca. E depois de um tempo de reclusão, Muldar fica estranho, mais que o normal. E Scully! Como sofre essa mulher! E eu não acredito que ela ainda não acredita!!! Filhota, você teve um ET "implantado" em você, crescendo na sua barriga, teve que dar seu filho pra adoção por causa da perseguição, e vocÊ ainda não acredita?!
Então, por essa e por mais algumas coisas, saí meio frustrado.
O meu lado fã gostou do filme, mas ele queria algo mais. E esse mesmo lado sugere: Chris Carter, agora, deixa quieto. Chega de mexer nisso e vai fazer outra coisa.


Sábado, 21:00, Novelas Curitibanas: O Mez da Grippe, da Companhia Pausa de Teatro
Dois dos atores da peça são meus vizinhos, e numa "trombada" dessas de elevador, eles me avisaram: "A peça é meio estranha. Nós estamos curiosos pra saber a reação da platéia".
Bom, vizinhos, a peça é estranha mesmo, mas olha, eu gostei, e não foi pouco!
A peça mistura O Mez da Grippe, de Valêncio Xavier, "Poema da Bem Aventurada Virgem Maria", de Anchieta e "As Relações Naturais", de Qorpo-Santo.
Pablito, que agonia de te ver no poema de Anchieta!!!
E o Truque-truque me rendeu boas risadas...
A peça não é linear, e requer um pouco de abstração e uma boa dose de atenção pra poder juntar as coisas e entender a história. O que eu gosto nessa companhia é que eles não dão respostas de mão beijada e nem subestimam o espectador. Quem assiste, tem que pensar! E nada melhor do que alguém que me provoque e me faça pensar.

Mais info? Veja aqui:
"As novas faces do Teatro - Caderno G - Gazeta do Povo"
"Febre, um sintoma cênico"
P.S.: além da companhia, a companhia também era ótima. ;)

Sábado/Domingo, 1:00, Roxy Club: DJ Joel Guglielmini
E não é que o guri está tocando bem?!?! O Joel é amigo de um amigo meu, e já o ouvi tocar algumas vezes pela cidade, só que eu não sabia que ele estava tocando bem como está! O público não era dos mais simples de se agradar (e eu não tinha visto tanto emo no mesmo lugar), mas o DJ mandou muito bem.
Depois dele, ia tocar a Madame Mim, aquela argentina da MTV. Eu não fiquei até a hora dela, mas quem ficou disse que ela é hilária e bem simpática. Vi umas fotos e rolei de rir. Realmente, hilária ela é! :D
Parabéns, Joel. Avisa de novo quando for tocar, e eu vou dar um jeito de aparecer.

Bom, fico por aqui que agora é hora de descansar pra semana que vem vindo. Até!