domingo, 22 de agosto de 2010

Vinte e três, mas de agosto

Ei, amanhã é 23.
Paula Toller me lembrou de novo, mas dessa vez de um jeito diferente.

É agosto.
23 de Agosto! É meu. Sou eu. É o meu Natal!


Há um tempo, eu cheguei a pensar em nem fazer nada, não comemorar. Tolice!
Nem todo mundo chega à minha idade como eu cheguei.
Ninguém sabe o que eu sei, nem sentiu os ventos que minha pele sentiu.
Foram 7 anos de piano, 4 de pintura, 5 de inglês, e 3 anos de espanhol, 1 de francês e 80 horas de Mandarim!  Quase 10 anos ensinando inglês.
Foram 6 anos de Engenharia Civil e 1 dia de Administração de Empresas, mas que definiu um bom pedaço da minha vida.
Foram 8 empresas por onde passei, e em cada uma, criei uma história e deixei portas abertas.
Foram 9 mudanças de endereço em Curitiba e 3 em São Paulo.
Já briguei de soco, já bati boca, já xinguei.
Já chorei até dormir.
Já odiei.
Já abracei, já fiz cafuné, já sorri feito bobo.
Já disse "te amo" sinceramente, sentindo no fundo do coração.
Já amei.

Então, por que não comemorar?
Motivos não me faltam. Amigos honestos não me faltam. Família não me falta.
Alegria! Amanhã será um dos meus melhores 23!
Feliz aniversário!

E para terminar, um lembrete do meu avô Alderico: Salmo 23.
"O Senhor é o meu pastor e nada me faltará. Deita-me em verdes pastos e guia-me mansamente em águas tranqüilas. Refrigera a minha alma, guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome. Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque Tu estás comigo, a Tua vara e o Teu cajado me consolam. Prepara-me uma mesa perante os meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda. Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida e habitarei na casa do Senhor por longos dias".