sábado, 31 de dezembro de 2011

Feliz 2012!


No ano que começa,

"Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
 Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!"

Essa é a poesia Felicidade, do Fernando Pessoa.

sábado, 24 de dezembro de 2011

Feliz Natal

Procurando alguma coisa para postar no Natal, já que a inspiração de escrever não tem aparecido, achei esse vídeo dos Tribalistas cantando "Mary Cristo".
Tem um pedacinho de making-of e foi o que me fez postar aqui hoje. 

Link aqui: http://youtu.be/LpT0ijMSO8w

Olhai por nós.

sábado, 26 de novembro de 2011

Desodiar

A Benetton começou uma polêmica campanha chamada UNHATE, colocando presidentes e políticos mundiais que não se bicam em fotos de beijo apaixonado.

E então lançou esse vídeo.

Não tem como não se emocionar, ainda mais ao som de violinos e violoncelos assim.

Pra saber mais sobre a campanha, o site é este: unhatefoundation.org.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Sua canção

Tem momentos em que a gente perde o chão.
Tem dias em que a gente perde a esperança e não tem força pra sair da cama.
Mas aí aparece um homenzinho que deve ter uns 1,20m de altura, sorriso largo e mão esticada que chama você pra perto e fala no seu ouvido "Inho, eu te amo". Que pula em cima de você na cama até você levantar e diz que cada filme que assiste no cinema ao seu lado é o melhor filme que ele já viu na vida.
Que te abraça, te xinga quando está de saco cheio, mas que faz com que sua vida seja viva!

Hoje, esse meu herói faz 10 anos e pra ele, eu só posso dizer que a minha vida é maravilhosa porque ele está no mundo.
Um dia, querido, você vai entender inglês e vai ver que a letra dessa música aqui embaixo é uma das coisas mais preciosas que alguém pode cantar.
P.S.: eu a ouvia no caminho da maternidade no dia em que você nasceu!

Desejo a você, João Victor, toda a plenitude que a vida deve ter.
Felicidade, sucesso, amor, abraço, chocolate, cinema, camisas xadrez, Diários de um Banana e notas de R$100,00.
Um beijo, do tio que te ama.
Inho

Ellie Goulding - Your Song
http://youtu.be/D9AFMVMl9qE

 

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Eu ainda não tinha postado "Someone Like You"?

Gosto tanto dessa gorducha da Adele e não sei como ainda não tinha postado aqui.
Saiu o clip oficial de Someone Like You, acho que por pressão de tanto prêmio que ela vem ganhando.
Gostei. Simples, a música e a letra continuam sendo os pontos fortes.
Mas Adele, filmar em Paris foi um golpe baixo... bem baixo...

 

Se houvesse qualquer coisa a ser dita, seria isso.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Vírgula

Coldplay é uma banda que só mexe comigo de vez em quando.
O começo dessa música me chamou atenção por me lembrar de outra bem breguinha (Ritmoooo, é ritmo de la nocheee), mas aí resolvi prestar atenção na letra e ver o clip.
É, não tem discussão. Eles são bons.
O vídeo está aqui ou veja agora embaixo.



Tem um pedaço que diz: I'd rather be a comma than a full stop Eu também. Prefiro ser uma vírgula do que um ponto final.

P.S.: D. Nina que me segue aqui, a senhora vai gostar dessa música.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Medida

Descomplicar.
Esse tem sido o verbo vigente já faz algum tempo.
Tento. Nem sempre consigo.

O difícil é descobrir a medida das coisas...

ver além dos olhos

O milagre

Cai nesse vídeo ontem por indicação de uma amiga de adolescência.
Foi ótimo perceber que eu cantava várias partes errado, mas que a letra é linda depois que se entende o que se canta!

And the miracle of love will take away your pain when it comes your way again.
That's for sure.

Assista a "The Miracle of Love-Eurythmics" no YouTube

sábado, 16 de julho de 2011

Um ano e meio

Voou.
O tempo voou.

Perceber que faz um ano e meio que vim parar em São Paulo trouxe um pacote de emoções.
Percebi o tempo em uma conversa despretenciosa com um amigo recente da cidade.

No meio da conversa, veio a afirmação: "Nossa, já faz tempo, então você já é um paulista".
Sorri.
Continuo sem resposta à essa pergunta.

A mudança de cidade trouxe responsabilidades diferentes e criou necessidades que exigiram decisões rápidas e nem sempre acertadas.
Acertei em vários aspectos: cresci profissionalmente, amadureci. Fiz amigos em situações e lugares inusitados. Amigos mesmo, desses de poder contar num aperto eventual.
Perdi o senso de regionalismo e hoje procuro ver o que os lugares tem de bom a oferecer.
Não acho São Paulo melhor que Curitiba, mas também não acho pior. Ambas tem seus aspectos positivos, e honestamente, não me vejo mais morando em nenhuma delas por muito tempo. Curitiba é minha família, meu porto seguro, meu abraço de amigo de infância. São Paulo é meu trabalho, meu risco, meu ninho pra continuar a alçar voos mais altos.

Hoje, me vejo itinerante. Não me amarro mais a um lugar: sinto-me à vontade no aeroporto, na estação do metrô, no ponto de ônibus, no táxi. Da mesma forma, não me prendo mais a pessoas: a família vai estar sempre pronta pra me receber, aconteça o que acontecer; os amigos, esses escolhidos, me aceitam com minhas manias, minha idiossincrasia, minha inconstância ou ausência gerada por tantas viagens e até por recolhimento.
O restante é acessório.
Ir para São Paulo, mesmo que não tenha sido por mim, foi só o começo.

As nuvens se desfazem e a vida vai se tornando um céu azul limpo, radiante de sol.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

TYP - D.I.S.C.O (Official Video)

Fim de semana chegando e que tal começar animado? Chega de tristeza, minha gente!

Um amigo me apresentou a banda e esse remake do D.I.S.C.O. que é super anos 70 grudou nos meus ouvidos.

O vídeo segue abaixo, e o link do Youtube, claro, está aqui.

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Estampado no rosto

Quinta começou chuvosa e fria.
Mas mal cheguei ao trabalho, me deparei com um email me mostrando essa foto.


Recebi de uma amiga fofa, querida, que disse ter se lembrado de mim ao ver a imagem.
A ela, todo o meu carinho, amizade e admiração.

A exposição está online neste link.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Esse livro eu já li (Beth Ditto!)

Nada melhor do que pegar músicas por acaso no rádio e na internet.
A gordinha do The Gossip se chama Beth Ditto e lançou essa música solo que faz mexer os pés enquanto se escuta.
E pra quem lembra, olha uns passos de Vogue ali, gente.

Claro, o videoclip do Youtube segue abaixo e, em seguida, a letra da música.
Quem canta os males espanta! E quem dança, também.



I put you up, I treat you well
Tell you secrets I never tell
We pretend, it's all ok
But there's one thing we never say
The world is full of good intentions
Paradise is hard to find
Say they love you but fail to mention
Who they were with again last night
Revenge, regret, I wrote the book
Forgive, forget, I wrote the book
Keeping secrets, I wrote the book on it, don't test me

Heartbreak and then some, tell me where is a friend when you need one
Before you take a second look, remember I know every trick in the book

It never stops around the clock
When I'm there, you speak so soft
The runaround will wear you out
You break it off, I'll break you down
The world is full of good intentions
Paradise is full of lies
Tell you they love you but fail to mention
Who they were with again last night
Cheating, sneaking, I wrote the book
Begging, pleading, I wrote the book
Lying, crying, I wrote the book on it, don't test me

Heartbreak and then some, tell me where is a friend when you need one
Before you take a second look, remember I know every trick in the book

Heartbreak and then some, tell me where is a friend when you need one
Before you take a second look, remember I know every trick in the book

I wrote the book, I wrote the book, I wrote the book on it, don't test me
I wrote the book on it, don't test me now
I wrote the book on it

domingo, 26 de junho de 2011

Redes Sociais e eu

Tenho uma história de anos com as redes sociais.
Fui um dos primeiros amigos a entrar no Orkut, no tempo que ainda tinha que ter convite e a rede era toda em inglês. Depois não pude deixar de criar perfis no My Space, Last.fm, Facebook, Twitter e Foursquare. Consegui me conter e escapei da Hi5 e QuePasa. Ufa!

No começo do ano, finzinho de janeiro, resolvi desativar meus perfis.
Algumas situações da vida me fizeram repensar várias atividades cotidianas que me faziam perder tempo. Eu estava lendo menos, escrevendo menos e já tinha deixado de desenhar. A rede me fazia companhia, mesmo que unilateral. Eu compartilhava minha vida, minhas fotos, minhas atividades buscando companhia, querendo ser acompanhado, mas nunca deixei de me sentir só. Desativei o Orkut, que era a rede que eu menos usava, e fui cancelando uma a uma. Só haviam sobrado o Twitter e o Foursquare, pra manter o mínimo de contato na internet com alguns amigos e difundir idéias e pensamentos. E também para não estranhar a mudança que seria radical, afinal eram praticamente 7 anos de redes sociais.
Na metade de fevereiro, o Ledux CWB me convenceu a voltar a usar o Facebook, já que eu ia começar a escrever a coluna Wavelicious no blog dele, e isso ajudaria na divulgação do site. Voltei.

À medida que fui fazendo novos amigos em São Paulo e Curitiba, fui adicionando nos três perfis: Facebook, Twitter e Foursquare. Também foi bom para reencontrar amigos, parentes, pessoas especiais. A vida andou de novo e novos loopings na montanha russa apareceram e isso me fez parar e reajustar o rumo mais uma vez.
Resolvi postar para responder aos meus amigos que tem me perguntado se saí do Facebook, se os bloqueei, se parei com Foursquare.
Desativei meu perfil do Facebook sim, e não bloqueei mais ninguém.
Parei de usar o Foursquare, mas meu perfil continua ativo só pra não perder os vários badges que eu fui conquistando :-) Quem sabe eu volto um dia, mas por enquanto, quem me gosta, sabe onde eu estou.
Do rol de redes, sobrou só o @Wavel, ao menos por enquanto. Deve durar mais um tempo, desde que eu tenha coisas que julgue interessantes de serem compartilhadas.
Não é drama. Não é reclamação nem lamento.
É só decisão de voltar a viver o momento com as pessoas que me cercam.
Aproveite a vida, porque a gente não sabe quanto tempo as coisas boas vão durar.
Boa semana!
Pôr-do-sol em Salvador, Nov/2009.

domingo, 19 de junho de 2011

X-Men, Woddy Allen e Jack Black

Vamos falar de cinema? Tenho visto bastante filmes e séries, e esses 3 merecem ser vistos na tela grande.

X-Men, First Class
A Marvel e a Fox acertaram a mão nesse novo filme dos X-Men. Saiu aquela sensação de "samba do crioulo doido" que foram o X-Men, The last stand e o X-Men Origins: Wolverine. O filme é uma história simples e direta sobre o começo do grupo X-Men. Conta o passado do Professor Charles Xavier e do Eric Lehnsherr, o Magneto, como eles se encontraram, como se tornaram amigos e a maneira como o destino os tornou inimigos. Lutam pelo mesmo objetivo, porém de forma e lados opostos.
Os outros X-Men são um show à parte e os efeitos especiais estão excelentes. E tem participações especiais que garantem um sorriso aos fãs dos quadrinhos e do grupo.
É um filme para se assistir em tela grande pra aproveitar tudo que se pode ver.

P.S.: um comentário na sessão que assisti valeu a ida: "opa, o poder do Havok é o bambolê da morte!" :-D

Meia-noite em Paris (Midnight in Paris)
Só o poster ao lado já me chamou a atenção ao filme durante uma navegada pela internet. Depois que vi o trailer, fiquei ainda mais curioso.
Este é o mais recente filme do Woddy Allen, que eu classificaria como comédia-romântica. É super despretencioso e fácil de assistir, com um enredo que prende a atenção a ponto de não se perceber o passar do tempo.
É a história de um roteirista de cinema que está decidido a ser um escritor de romances e está de passagem por Paris com sua noiva e os pais dela. Ele ama Paris, mas prefere a cidade nos anos 20, época em que considera o auge da cultura mundial concentrado na cidade. Não vou entrar em muitos detalhes para não estragar nada, mas a surpresa que o enredo vai mostrando é mágica.
Em alguns pontos, o espectador pode se sentir um pouco perdido, porque parte da mágica exige um bom tanto de cultura geral: livros, filmes, artes, autores, diretores, pintores, cartunistas. Nem todos os nomes são do conhecimento de quem vê o filme e tive a alegria de reconhecer a maioria daqueles citados. Se você se perder, guarde o nome da faça uma busca no Google. Conhecimento sempre é bom.
Saí da sessão com sonhos renovados e com a certeza de que a vida é agora e resultado daquilo que a gente faz.

Kung-Fu Panda 2
Po voltou, e dessa vez vem em busca de suas origens.
Tive a sorte de ver a parte inicial do filme no ano passado, em uma convenção em Las Vegas. A arte ainda não estava finalizada, mas não interessa, eu vi primeiro! :-)
O filme independe do primeiro e o desenho está primoroso. Os palácios e as tomadas amplas mostrando cidades são de encher os olhos, por isso recomendo assistir em tela grande.
O padrasto do Po, o ganso cozinheiro, é o personagem que mostra a delicadeza, a inocência e a bondade da forma mais bonita.
O panda está hilário e me deixou com vontade de assistir a versão legendada para ouvir a voz do Jack Black (cedi ao meu sobrinho pra ver o dublado).
O filme entrega uma mensagem final linda e já deixa gancho pra mais um. É só esperar.

P.S.: pode parecer tolice, mas me identifico com esse panda. Já me falavam que eu seria um koala se fosse um uso; já me disseram nas últimas semanas, por repetidas vezes, que lembro o Jack Black, fisicamente, o sorriso, o humor. Trocando o tipo do urso, Po e eu temos algumas coisas em comum. ;-)

Bom, é isso. Ficam as dicas.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Filosofia de Seriado

E ontem à noite assisti ao retorno da temporada de Grey's Anatomy (capítulo "This is How We Do It). Perdi uns dois ou três anos da série, mas consegui acompanhar quase todas as histórias.
Não vou contar, nem fazer spoilers, porque fim do episódio foi daqueles de susto e de encher os olhos d'água.

Ao som de Adele cantando "Someone like you", a Meredith Grey deixa mais uma daquelas frases que eu tanto gosto.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Mais um de relacionamentos

Hoje recebi um e-mail da Valesca, uma das minhas amigas mais queridas. Nele, um texto atribuído ao Dr. Dráuzio Varella. Independente de ser dele ou não, achei que merecia vir parar aqui.

Para que serve uma relação?
Uma relação tem que servir para você se sentir 100% à vontade com outra pessoa, à vontade para concordar com ela e discordar dela, para ter sexo sem não-me-toques ou para cair no sono logo após o jantar, pregado.

Uma relação tem que servir para você ter com quem ir ao cinema de mãos dadas, para ter alguém que instale o som novo enquanto você prepara uma omelete, para ter alguém com quem viajar para um país distante, para ter alguém com quem ficar em silêncio sem que nenhum dos dois se incomode com isso.

Uma relação tem que servir para, às vezes, estimular você a se produzir, e, quase sempre, estimular você a ser do jeito que é, de cara lavada e bonita a seu modo.

Uma relação tem que servir para um e outro se sentirem amparados nas suas inquietações, para ensinar a confiar, a respeitar as diferenças que há entre as pessoas, e deve servir para fazer os dois se divertirem demais, mesmo em casa, principalmente em casa.

Uma relação tem que servir para cobrir as despesas um do outro num momento de aperto, e cobrir as dores um do outro num momento de melancolia, e cobrirem corpo um do outro quando o cobertor cair.

Uma relação tem que servir para um acompanhar o outro ao médico, para um perdoar as fraquezas do outro, para um abrir a garrafa de vinho e para o outro abrir o jogo, e para os dois abrirem-se para o mundo, cientes de que o mundo não se resume aos dois.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Filosofia de Seriado

Parei de acompanhar Grey's Anatomy logo após a morte do George. Já não sei em que temporada o seriado está, mas era de lá que vinha muita inspiração pra pensar na vida.

Eu voltei a assistir seriados de ficção científica e Fringe vem cobrindo essa lacuna muito bem.
A filosofia de seriado hoje vem do episódio "Marionette", da terceira temporada.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Wave UFO Model da Mariko Mori


Wave UFO Model, Escultura de Mariko Mori, na exposição Oneness, no CCBB de Brasília.

A exposição vai passar pelo CCBB de São Paulo e mais outra cidade que não lembro agora.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Mistake - Moby

Sempre gostei de Moby e seus videoclips.
Esse é o que eu queria cantar hoje.

domingo, 16 de janeiro de 2011

Monumento a um jovem monolito

Texto de André Dahmer em vídeo do Youtube.
http://youtu.be/5ZP2xJsOzCE

Em São Paulo há um ano

Passou rápido, porque foi um ano cheio.

Não fui picado por aquele bichinho que te faz amar a cidade.
Ainda não acertei a mão e vou lidando com a decisão mal tomada em ter me mudado.

Só que eu fiquei teimoso e vou fazer isso dar certo de algum jeito.
Eu queria que fosse outro post, com outro tom, mas chega de ficar remoendo isso. É pra frente que se anda.


P.S.: gostei desse post do Papo de Homem que encontrei hoje no meu Google Reader e foi mais um toque pra seguir adiante.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Dancing on My Own

Lembra da Robyn com "Indestructible" e "Hang With Me" que mostrei aqui dia 31/10/10?
Então, tem essa aqui também que é muito boa e vale ir pra playlist. Tem outras versões com outras batidas, mas original é sempre original, certo?
Boa diversão.



P.S.: letra aqui.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Air - All I Need

Era setembro ou outubro de 2009 e eu ouvi falar no Pedro Andrade e suas dicas interessantes sobre Nova Iorque. Em 2010, passei a acompanhá-lo no Twitter e tem sido um deleite assistir aos vídeos que ele compartilha.

Esse aqui é na verdade uma música. Não um clip, só a música mesmo.
Começar a primeira segunda de 2011 com ela, depois de ter acordado às 04:55 com insônia, ajudou a abrandar os ânimos.



Tem um "quê" de nostalgia.